Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog X

 

sentas-te num banco, abres o invólucro de plástico que protege o pacote das pastilhas, num gesto repetido vezes sem conta.

Procuras pela patilha dourada que te leva ao fio perdido que dá a volta ao pacote e te permite tirar as pastilhas. Envergonhado vais rodando o pacote, tantas vezes que já fizestes isto, mas parecem sempre mudar de sitio, vais rodando até encontrares o que queres.

O sentimento de sucesso só é suplantado pela satisfação de puxares a patilha e veres o fio cortar o plástico em toda a volta. Olhas em volta para meteres o plástico no lixo, e não encontras o caixote. Sorris e metes no bolso.

Abres o pacote e metes a pastilha à boca onde sentes a onda de sabor enquanto mascas devagar e sentes o sabor a crescer cada vez mais. Encostas-te para trás e finalmente observas em teu redor. O banco de jardim é na verdade num centro comercial. Por momento parece que não há covid. As pessoas enchem os centros comerciais enquanto esperam a sua entrada nas lojas.

Sorris porque pensas que são as mesmas pessoas que há seis meses panicavam por papel higiénico e agora estão de máscara em filas sem distanciamento social e tudo para terem uma roupa bonita para irem aos funerais, como convidado ou como festeiro.

A vida tem de continuar dizem.

Até eu fui apanhado, não mais tempo do que o necessário nestes saldos manhosos, temos de refletir que mundo queremos para os nossos filhos quando arriscamos uma infeção em troca de roupas mais baratas.

O que te devolve o espelho quando te confrontas com a verdade, o que dizem os teus olhos no reflexo? Talvez um silêncio constrangedor ou talvez um sorriso que afaga o ego.

Quem és tu neste novo mundo??

 

somos sempre capazes de mais!

É por isso que nos vemos constantemente à procura de atingir melhores resultados.

Somos biologicamente resilientes a condições adversas. No entanto somos influenciáveis pelas massas, somos incapazes de decidir acompanhados, pois tendemos a trabalhar em conjunto. Somos resilientes e socáveis. Esta aceitação social é a mais grave das nossas fraquezas e a mais forte das nossas forças. Trabalhamos em conjunto para sobrevivermos, mas depois de atingirmos as condições de segurança, somos atingidos pela necessidade de sobressair. Somos previsíveis numa sociedade que se estudou para melhorar a passos largos.

Esta insatisfação que nos invade pode ser canalizada a vontade ou contra vontade para os nossos comportamentos.

Ambição e depressão andam de mãos dadas, resultados das nossas expectativas versus a realidade que encontramos todos os dias. Quantas vezes pensamos que não vamos ser capazes e aceitamos o nosso destino como uma consequência do ocaso.. quando na verdade são as nossas decisões que nos levaram ao momento de reflexão perante a dor.

Mas a verdade é que somos resilientes, aceitamos continuar mesmo que não corramos à mesma velocidade, porque no fundo queremos sobreviver e ser felizes, dentro do que for isso. A resiliência é peça fundamental para aguentar as nossas frustrações diárias e 2020 foi um ano de frustrações, depressões e infelicidade, de ficarmos confinados, presos nos nossos pensamentos e aposentos. Mas dentro da frustração foi um ano em que acreditamos que fazer um arco-íris num papel nos ia dar esperança e ainda vamos vendo quem acredita.

Mas a resiliência faz-se de ações e vontades, por isso para 2021, seja resiliente no seu dia a dia, porque sem resiliência seremos incapazes de sorrir perante um futuro incerto e acredite que aguentamos muito mais do que acreditamos, somos biologicamente feitos para durar e o mais duro dos animais ao cimo da Terra e futuramente da Lua e Marte.

Que 2021 venha cheio de pujança.

Votos de um feliz 2021

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub